Buscar
  • Raphaela Brandão

Estratégias para fugir do sedentarismo

Por que com tantas evidências dos benefícios do exercício físico, as pessoas ainda continuam no sedentarismo?


Vamos aos estudos

Não faltam dados comprovando os benefícios da prática de exercícios físicos. Por exemplo, o exercício regular pode prevenir a demência, diabetes tipo 2 , alguns tipos de câncer, depressão, doença cardíaca e outras condições graves comuns - reduzindo o risco de cada um em pelo menos 30%.


Pessoas que se exercitam 1-2 vezes por semana podem reduzir em até 30% sua chance de morte por todas as causas, em comparação com as que não fazem exercício. E quando feito de 3-5 vezes, a redução aumenta em 35%. - Isso é melhor do que muitos medicamentos. Não acham?



Pode ser que a resposta do alto número de pessoas sedentárias e com morte que poderiam ter sido evitadas esteja no prazer pela atividade. Achar uma que realmente te envolva é fundamental. Não necessariamente precisa estar dentro de uma academia, mas se tiver, é possível fazer com que sua atividade seja prazerosa, tornando seus treinos se tornem mais lúdicos. Sim, você precisa se divertir, então brinque mais.


Brincar não é fazer coisas que são imaturas

É ser absorvido em uma atividade que é intrinsecamente motivadora. Então se você acha que pra ter suas capacidades físicas melhoradas, precisa estar fazendo o que não gosta... repense.

A brincadeira ajuda a construir corpos resilientes, desenvolver condicionamento físico, aprender movimentos e habilidades sociais, e tornar-se mais adaptáveis ​​e criativos em geral.


Brincar é um antídoto para o estresse.

E isso é fundamental, pois o estresse além de ser um inimigo da produtividade, pode realmente desligar as partes criativas, questionadoras e exploração do cérebro. Você já passou por isso: fica estressado(a) no trabalho e, de repente, tudo dá errado. As chaves somem, você esbarra em tudo, esquece o relatório importantíssimo na mesa da cozinha.

Descobertas indicam que isso acontece porque o estresse aumenta a atividade da parte do cérebro que monitora as emoções (amígdala) e a reduz na parte responsável pela função cognitiva (o hipocampo) - e o resultado é que não conseguimos pensar com clareza.

[Essencialismo_ Greg McKeown].


A "brincadeira/jogo" é a melhor ferramenta para desenvolver a saúde do movimento que a seleção natural criou, nos ajudando a construir corpos resilientes, desenvolver condicionamento físico, aprender movimentos e habilidades sociais, e tornar-se mais adaptáveis ​​e criativos em geral. (Hargrove,2019)

Que o não gostar de academia não seja o motivo para você não se movimentar.


“A brincadeira constrói recursos físicos, intelectuais, psicológicos e sociais.” (Lee,1983)

Por uma vida com mais movimento e diversão.

Até a próxima.



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo